Ermelinda

Ermelinda de Almeida nasceu em Fortaleza-CE em 1947, mas aos 14 anos foi morar com irmã Maria em São Paulo-SP. Três anos depois foi para o Rio de Janeiro cuidar do filho recém-nascido de sua irmã Isabel e lá vive até hoje. Durante boa parte de sua vida trabalhou como costureira. O interesse pela pintura surgiu por acaso em 1994, quando passou por um quadro de dificuldades e depressão. Uma amiga sua chamada Maria Torres a aconselhou a procurar um curso de pintura como uma forma de terapia. No inicio hesitou, até que um dia começou a freqüentar as aulas do Prof. Tancredo de Araújo no SESC. Não tardou muito para desistir. (...) Não adianta me chamar para a pintura. Não tenho interesse, não vou nunca pintar nada. Naquele dia eu estava tão para baixo (...) Estava deitada e comecei a conversar com Deus. (...) O que eu estou procurando, o que eu devo fazer?” Levantei, peguei lápis e papel e comecei a desenhar. Aí falei: “agora eu volto para o curso”. Lá no curso, falei pro professor: “olha, aconteceu isso comigo”. Nessa época nem se falava muito em pintura naif. Ele me disse que era por ali o meu caminho. Aí eu disparei (...) De repente, sempre de madrugada, vem na minha mente: “Eu vou pintar!” O quê eu não sei, porque eu nunca planejo os desenhos; simplesmente pego lápis e papel e é como se alguém pegasse a minha mão e me fizesse fazer o desenho (...), conta Ermelinda.

Ermelinda. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

As obras que surgem na madrugada são diferentes daquelas que resultam de encomendas, embora a técnica seja a mesma. Os quadros que pinta durante o dia exige dela estudo, observação, uso de fotografia. Começou quando foi convidada a pintar uma tela para uma exposição cuja temática era a Copa Mundial de Futebol. Ela conta que essa experiência tirou dela a inibição diante da tela em branco, abrindo caminho para a sua criação. Ermelinda começa um quadro com um desenho a lápis em papel, depois fotocopia o desenho nas dimensões da tela que vai ser usada. A cor azul de fundo é predominante em seus quadros. Após pintar a tela, ela risca o desenho e em seguida contorna a figura com o pincel. A tinta acrílica é a sua preferida.

Ermelinda, Baianas de Candomblé, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

 Ermelinda, Oxalufã e Oxaguiã, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

Ermelinda, Baianas coloridas, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

(...) Hoje não sei mais viver sem o meu pincel. Quanto mais eu pinto, mais vontade tenho de pintar. Isso é uma maravilha. (...) Não escolhi a pintura naif, a pintura naif me escolheu, conta a artista.

Ermelinda participa com freqüência de exposições coletivas, bienais e já recebeu vários prêmios. Começou a expor sua obra em 2000 numa exposição coletiva no Musée de la Création Franche (Bégles, França). A primeira exposição individual teve lugar no Museu Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro, 2002). Em 2010, o Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (Rio de Janeiro) inaugurou outra exposição individual intitulada “Pinturas de Ermelinda” na Sala do Artista Popular. Dentre os prêmios recebidos destacam-se: a Palheta de Ouro no Salão da Fundação Casa do Estudante (2002), o Prêmio Aquisição na Bienal de Arte Naif do Sesc de Piracicaba (2004) e a Placa de Ouro no I Salão de Artes Plásticas, da Associação de Adminstração Estadual, Rio de Janeiro (2005).

Fonte:
Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”. Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Sala do Artista Popular, n 160, Rio de Janeiro, 2010.

 Ermelinda, A mulher e os pássaros, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

Ermelinda, arraiá, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

 Ermelinda, S. Jorge, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.
 
 Ermelinda, Santa Luzia, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.
 
 Ermelinda, a vendedora, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Catálogo da exposição “Pinturas de Ermelinda”, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, Rio de Janeiro-RJ.

5 comentários:

  1. Lindos seus trabalhos e sua história! Um beijo E/linda...

    ResponderExcluir
  2. me ajudou muito em um trabalho da escola, parabens. continue assim! :)

    ResponderExcluir
  3. lindo trabalho! como fco para comprar uma obra da senhora? parabens!!

    ResponderExcluir
  4. nossa esse site vai me ajudar totalmente com trabalhos de escola , parabéns !

    ResponderExcluir