Antônio Poteiro

Antônio Batista de Sousa, mais conhecido como Antonio Poteiro, nasceu no dia 10 de outubro de 1925 na Aldeia de Santa Cristina da Pousa, Província do Minho, Portugal, mas se mudou ainda criança para o Brasil. Depois de morar em São Paulo, Minas Gerais e na Ilha do Bananal, fixou-se em Goiânia em 1955, onde faleceu em 8 de junho de 2010. Antonio Poteiro iniciou-se na vida artística com o seu pai, Américo Batista de Souza que era ceramista e fazia potes. Foi daí que surgiu o sobrenome Poteiro. Antes trabalhou como padeiro, cozinheiro e faxineiro.

Antonio Poteiro. Reproduçao fotográfica autoria desconhecida.

O tempo foi passando e os potes de Antonio Poteiro foram se transformado em autênticas esculturas de cerâmica. De simples objetos caseiros, os potes adquiriram formas mais complexas e adornos decorativos, passando a exibir uma vasta imaginação do artista e um excelente domínio da técnica. No campo da cerâmica, a obra de Antonio Poteiro é composta ainda por santos, urnas em alto relevo, animais e peças do imaginário do artista.

 Antonio Poteiro, pote, cerâmica. Reproduçao fotográfica autoria desconhecida.

Antonio Poteiro, título desconhecido, cerâmica. Reproduçao fotográfica Lordello e Giobbi Leiloes.

Antonio Poteiro, Nossa Senhora dos Navegantes, cerâmica. Reproduçao fotográfica autoria desconhecida.

Antonio Poteiro, título desconhecido, cerâmica. FOTO: Timblindim.

Antonio Poteiro, Nossa Senhora, cerâmica. Reproduçao fotográfica autoria desconhecida. 

Em 1973, incentivado por Siron Franco, começou a transportar os elementos usados em suas peças de cerâmica para as telas. Pintava diretamente sobre a tela, sem nenhum desenho prévio. Além da temática religiosa Antonio Poteiro adicionou à sua obra um sentido de crítica política. Gradualmente passou a apresentar também motivos regionais e temas bíblicos.

 Antonio Poteiro, natividade, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Escritório de Arte.

Antonio Poteiro, a ceia, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica do site do artista.

Antonio Poteiro, S. Francisco e os animais, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica do site do artista.

Antonio Poteiro, título desconhecido, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica Lordello e Giobbi Leiloes.

Antonio Poteiro, título desconhecido, acrílica sobre tela. Reproduçao fotográfica autoria desconhecida. 

Entre os artistas brasileiros, é um dos mais conhecidos e apreciados no exterior. Participou ao longo de sua vida de um grande número de exposições individuais e coletivas no Brasil e em outros países. Dentre as exposições individuais merecem destaque: a Exposição de Cerâmica e Pintura (Ouro Preto, 1976), a Exposição de Cerâmica e Pintura no Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso (Cuiabá, 1978), a Exposição de Cerâmica e Pintura no SESC (Rio de Janeiro, 1979), a Exposição na Bolsa de Arte de Porto Alegre (1983), a Exposição na Galeria São Paulo (São Paulo, 1984), a Exposição na Fundação Guayasamin em Quito, Equador (1985), a Exposição no Brasilian / American Cultural Institute (Washington, 1986), a Exposição na Embaixada de Portugal no Brasil (Brasília, 1986), a Exposição na Galeria Le Corbusier, na Embaixada da França (Brasília, 1991), a Exposição na Manoel Macedo Escritório de Arte (Belo Horizonte, 1996), a Exposição na Fundação Jaime Câmara Galeria Casa Grande (Goiânia, 1996), a Exposição no Museu de Arte Contemporânea (Goiânia, 2001), a Exposição na Casa Arte Canoas (Canoas, 2003) e a Exposição na Embaixada da França (Brasília, 2004).

Participou duas vezes da Bienal Internacional de São Paulo (1981 e 1991), da Biennalle Internazionale "NAIF", Cittá di Como, Itália (1976) e da V Bienalle Internazionale "NAIFS", entre Fiera e Lombardia, Itália (1980), da III Bienal de Havana, Cuba (1989), da III Bienal de Artes de Goiás (1993) e da Bienal Brasileira de Arte "NAIF", SESC Piracicaba (1994).

Entre os prêmios e honrarias recebidos destacam-se: o Prêmio de Aquisição no I Concurso Nacional de Arte Plástica da Caixa Econômica do Estado de Goiás (1970), o Troféu Tioko" de Melhor Artista Plástico em Goiás (1975), o Prêmio "FUNARTE" no IV Concurso Nacional de Artes Plásticas da Caixa Econômica do Estado de Goiás (1976), o Grande Prêmio Prefeitura de Belo Horizonte (1982), o Prêmio Associação paulista de Críticos de Artes APCA (1984), a Comenda Oficialato da Ordem do Mérito, recebida do Governo da República Portuguesa (1987), o Prêmio de Cerâmica do Santuário da Arte Goiânia (1992), a Medalha Ordem do Mérito Cultural. Brasil (1997), o Prêmio Unesco (2001) e o Troféu Jaburu - Conselho cultural estadual de cultura – Goiânia (2005).

As obras de Antonio Poteiro também faz parte do acervo permanente de museus como: o Museu Professor Zoastro Artiaga (Goiânia), o Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso (Cuiabá), o Museu de Arte Moderna - MAM (Rio de Janeiro), o Museu de Arte Moderna (São Paulo), o Museu da Casa Brasileira (São Paulo) e o Museu Municipal de Obidor (Portugal)

Fonte:
- Site do artista: WWW.antoniopoteiro.com, Acesso dia 20/01/2011.
- Frota, LC. Pequeno Dicionário da Arte do Povo Brasileiro – Século XX. Aeroplano Editora, Rio de Janeiro, 2005.

2 comentários:

  1. Veja o site deste artista de Caruaru.
    www.militaodossantos.com.
    Abraço,
    Liliane.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! Me ajudou muito no trabalho escolar : )

    ResponderExcluir