Mestre Saúba

Mestre Saúba nasceu Antonio Elias da Silva, mas no mundo da arte, este pernambucano nascido em Carpina em 1953 é conhecido pelo apelido que ganhou ainda jovem, o qual faz referência ao fato dele ter conseguido retirar um relógio de dentro de um grande formigueiro de saúbas. O artista soma mais de 40 anos dedicados à confecção de bonecos de mamulengo, arte que aprendeu com outro mestre de Carpina, Pedro Rosa, e que o fez ser reconhecido como um dos melhores do Brasil. Cada bonequeiro tem que ter um mestre. Eu tive esse. Fiquei com as malas dos bonecos dele, que agora estão no Museu do Mamulengo de Olinda, conta Mestre Saúba referindo-se ao Mestre Pedro Rosa.

Mestre Saúba. Foto: autoria desconhecida.

Além de escultor, Mestre Saúba é um exímio dançarino e juntamente com D. Lindalva, uma boneca de madeira em tamanho natural, faz um espetáculo pitoresco que sempre atrai centenas de pessoas nos lugares onde se apresenta. Mestre Saúba também é ventríloquo e contracena com o divertido boneco Benedito. Dona Quitéria, Mané Pacaru, Dona Lilia, João Gago, Simão, Coquinho, Laré e Dona Liprosina são alguns dos outros personagens nascidos pelas mãos do artista. Outra criação que marcou muito seu trabalho foi os ciclistas, que pedalam e mexem a cabeça.

Mestre Saúba em uma de suas apresentações publicas.

Mestre Saúba, casa de farinha, madeira policromada e tecido. Acervo do Museu Casa do Pontal, Rio de Janeiro, RJ.

Mestre Saúba já trabalhou com Alceu Valença, Marisa Monte e Antônio Nóbrega. Em São Paulo, trabalhou na montagem de Cadê o Meu Herói (Centro Cultural São Paulo), espetáculo que marcou a volta do Mestre ao mundo do mamulengo, do qual esteve afastado durante uma longa temporada. Mestre Saúba morou durante alguns anos em Itaperecica da Serra, SP, mas atualmente vive em sua terra natal, a pequena Florestina, município de Carpina, Pernambuco.

Mestre Saúba, casal montado em cavalo branco, madeira policromada e tecido. Acervo do Museu Caso do Pontal, Rio de Janeiro, RJ.

Mestre Saúba já fez exposições por todo o país e nos Estados Unidos. Há bonecos de sua autoria em museus e coleções particulares espalhados por todo o Brasil, como o Museu Casa do Pontal (Rio de Janeiro, RJ) e o Centro Cultural São Francisco (João Pessoa, PB).

Mestre Saúba, casa de farinha, madeira policromada e tecido. Foto: autoria desconhecida.

Mestre Saúba, forró, madeira policromada e tecido. Foto: autoria desconhecida.

Mestre Saúba, casa de farinha, madeira policromada e tecido. Acervo da Fundação Tide Setubal, Sâo Paulo, SP.

6 comentários:

  1. Parabéns pelo blog, adoro Arte Popular e devemos divulgar nosso Artistas ....

    ResponderExcluir
  2. Excelente me parece esta iniciativa.No saben lo identificada que me siento con ella.Casi casi es mi caso.Si bien soy profesora de pedagogía y he seguido algunos cursos de arte, he creado un teatro de marionetas con hilos siendo autodidacta.Y me siento feliz con lo que hago.Felicito a estos verdaderos artistas.Sus obras me encantan.
    Clery Farina

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Acabo de visitar uma exposição no SESC Pompéia (SP) e conheci alguns trabalhos de Mestre Saúba, maravilhosos. O Brasil é incrivelmente criativo e não precisa ficar copiando artistas estrangeiros...

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o Blog, tive o prazer de conhecer o Mestre Sauba aqui em São Paulo...também sou bonequeiro...parabéns pelo Blog
    J.E.Tico

    ResponderExcluir
  6. parabéns pelo blog, aceita contribuição-informação?

    ResponderExcluir