Zezinho de Tracunhaém

José Joaquim da Silva, o Zezinho de Tracunhaém, nasceu no dia 5 de julho de 1939, em Vitória de Santo Antão, Pernambuco. Durante parte de sua juventude foi cambiteiro, cortador de cana, agricultor, pedreiro e barbeiro. Na década de 60, Zezinho construiu sua profissão a partir da observação do trabalho da ceramista Lídia Vieira em Tracunhaém-PE. Inspirado pelo trabalho de Lídia, Zezinho iniciou modelando figuras que retratavam personagens do seu cotidiano, como: o valentão, o vendedor de milho assado e de amendoim, o mendigo de braço cotó, o marceneiro, o pedreiro, o ferreiro, entre outros. Logo no início de sua produção, montou um ateliê no Centro de Tracunhaém, realizando depois sua primeira exposição na biblioteca municipal da vizinha cidade de Nazaré da Mata, em 1966, onde exibiu 60 bonecos. Em 1968, decidiu morar em Tracunhaém, dedicando-se exclusivamente ao trabalho de ceramista.

 Zezinho de Tracunhaém. Acervo FUNDARPE. Foto: Val Lima.

Ao longo dos anos, Zezinho se especializou na arte santeira, produzindo santos com alturas que variam de 70 centímetros a 2 metros de altura. Sua temática preferida é a franciscana, em que o santo e os pássaros são esculpidos em grandes proporções. Suas peças costumam apresentar uma riqueza de detalhes que acentuam o aspecto da coloração, geralmente vermelha de tonalidade brilhosa. A modelagem das obras de Zezinho é toda feita à mão, com a utilização apenas de uma espátula de madeira e outra de metal. Sua produção também se concentra na confecção de imagens oníricas, típicas do imaginário popular

 Zezinho de Tracunhaém, Maria grávida e José, cerâmica. FOTO: Roberto R. Taddei.

 Zezinho de Tracunhaém, S. Francisco, cerâmica. Reproduçao fotográfica autoria desconhecida.

A participação de sua família no trabalho vai desde o preparo do barro até a modelagem, secagem, queima e pintura das peças. A esposa Maria Marques, mais quatro dos nove filhos e dois dos treze netos se inspiraram no trabalho do patriarca e hoje trabalham as próprias peças.

 Zezinho de Tracunhaém em seu ateliê. FOTO: Rebeca Kestler.

Algumas das peças do mestre Zezinho recebem dele mesmo uma certificação de autenticidade. Ele tem obras espalhadas pelo mundo, em museus, igrejas, coleções particulares e tem figurado em inúmeros salões de arte. Atualmente, vive no seu ateliê no Centro de Tracunhaém, onde expõe e vende suas peças. Dentre as honrarias recebidas pelo seu trabalho se destacam: o Troféu Construtores da Cultura Cidade do Recife (1992), o título de Cidadão da Cidade de Tracunhaém (2002) e o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco (2007).

Contato com Zezinho de Tracunhaém:
Av. Des. Carlos Vaz, 10.
55805-000 Tracunhaém-PE
Tel: (81) 3646-1215

Fonte:
- Amorim, Maria Alice. Cartilha “Patrimônios vivos de Pernambuco”. Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE), 2010.

 Ateliê do mestre Zezinho em Tracunhaém. FOTO: Rebeca Kestler.

Zezinho de Tracunhaém, Maria José e o menino Jesus, cerâmica. FOTO: Alberto Benning.

Zezinho de Tracunhaém, rendeira, cerâmica. FOTO: David Saboya.

Zezinho de Tracunhaém, S. José, cerâmica. Reproduçao fotográfica do site Cerâmica no Rio (www.ceramicanorio.com.br).

 Zezinho de Tracunhaém, presépio, cerâmica. FOTO: Alberto Benning.

3 comentários:

  1. Chamo-me Ana Maria, resido em Recife e estou interessada em adquirir uma imagem do Sagrado Coração com altura de 80 cm, para colocá-lo numa gruta, no conjunto residencial em que resido. Você teria como confeccioná-la?

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber como posso avaliar uma peça do Mestre Zezinho de Tracunhaem.

    ResponderExcluir