Artur Pereira

Artur Pereira é o mais famoso escultor de Cachoeira do Brumado, distrito de Mariana, Minas Gerais, lugar em que nasceu em 1920. A localidade tem uma longa tradição artesanal ligada, sobretudo, à produção de peças em pedra sabão e de tapetes de pita. Cachoeira também é conhecida pelos vários escultores da madeira que lá vivem e que tem no mestre Artur Pereira sua principal referência.

 Artur Pereira. Reproduçao fotográfica Portal Uai.

O mestre Artur Pereira começou a trabalhar desde cedo na roça, ajudava seu pai no trato da tropa de burros. Foi pedreiro, lenhador e carvoeiro. Autodidata, começou a produzir artisticamente em 1960, mas desde pequeno modelava pequenas figuras em barro, em geral presépios. Quando começou a esculpir na madeira, ele colava as partes da peça, como braços e pernas. Mais tarde, em 1968, começou a esculpir em bloco único. Suas obras eram formadas por estranhas composições de homens e animais, cujo estilo se aproximava ao dos ex-votos. Foi nessa época que começaram a surgir os grandes grupos, onças caçadas, presépios, esculpidos no miolo macio troncos de cedro, monoblocos sem emendas. Em 1971, ele ganhou um concurso de presépios realizado em Ouro Preto e sua obra começou a ter uma maior projeção. As peças de Artur Pereira começaram a ser comercializadas nas lojas de artesanato das cidades históricas mineiras, mas aos pouco foi ganhando notoriedade entre os galeristas que trataram de difundir a obra dele por todo o país. Eram peças que apresentavam um estilo próprio e que foi mantido por Artur Pereira durante toda sua vida; um estilo que foi seguido por vários outros escultores de Cachoeira do Brumado, como seu filho José Pereira, Miramar Borges e Adão de Lurdes.

 Artur Pereira, coluna de animais, madeira. Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

 Artur Pereira, presépio, madeira. Reprodução fotográfica Palácio de Leiloes.

Artur Pereira, coluna de corujas, madeira. Reprodução fotográfica Lordello e Giobbi Leiloes.

A inspiração para suas obras certamente vinha do meio rural em que viveu. Ele era um homem simples, mas com uma visão muito objetiva sobre o que fazia. Transcreveu para a madeira a sua vivência na roça, o contato com a gente simples e os bichos que habitavam as matas da região e o imaginário do seu povo. Na talha da matriz de Nossa Senhora da Conceição de Cachoeira do Brumado e a forma única de suas colunas devem ter saído, de maneira bastante inconsciente, das colunas barrocas e habitadas por vários personagens desta igreja do século dezoito.

 Artur Pereira, pássaro, madeira. Reprodução fotográfica Galeria Errol Flynn, Belo Horizonte, MG.

 Artur Pereira, título desconhecido, madeira. Reprodução fotográfica Veja Sao Paulo.

 Artur Pereira, tatu, madeira. Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

 Artur Pereira, caça a onça, madeira. Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

A primeira exposição do artista foi realizada em 1989 no Espaço Cultural Companhia Vale do Rio Doce, Rio de Janeiro-RJ. A partir de então sua obras fez parte de várias exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior, como a exposição Brésil Arts Populaires (Paris, França, 1987), a Mostra do Redescobrimento (Fundação Bienal de São Paulo, 2000), a exposição Artur Pereira – Esculturas (Instituto Moreira Salles, Rio de Janeiro-RJ, 2009) e a exposição Artur Pereira – Esculturas (Centro de Arte Contemporânea e Fotografia – Palácio das Artes, Belo Horizonte-MG, 2010). Possui obras nos acervos das de várias instituições como: o Museu de Folclore Edison Carneiro, RJ; o Centro Cultural de São Francisco, PB e a Casa do Pontal, RJ.

Artur Pereira faleceu em 2003 na mesma localidade onde nasceu.

 Artur Pereira, a caça e o caçador, madeira. Coleçao particular: Yara Tupynambá. Reprodução fotográfica Catálogo da exposiçao 40 anos do Centro de Artesanato Mineiro, Belo Horizonte-MG, 2009. FOTO: Bianca Aum.

Artur Pereira, pássaros, madeira. Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

Artur Pereira, onça fêmea, madeira. Reprodução fotográfica autoria desconhecida.

Artur Pereira, onça macho, madeira. Reprodução fotográfica Veja Sao Paulo.

  Artur Pereira, raposa, madeira. Reprodução fotográfica Veja Sao Paulo.

 Artur Pereira, onça macho, madeira. Reprodução fotográfica autoria desconhecida.

Artur Pereira, coluna de animais, madeira. Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

  Artur Pereira, presépio, madeira. Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

 Artur Pereira, presépio, madeira. Reprodução fotográfica autoria desconhecida.

Artur Pereira, bichos, madeira. Reprodução fotográfica autoria desconhecida. 

Artur Pereira, título desconhecido, madeira. Reprodução fotográfica autoria desconhecida. 

Um comentário:

  1. q legal eu presisava saber se da pra fazer sem motoserra?ecomo?

    ResponderExcluir