Mestre Vitalino

Este blog será inaugurado com uma homenagem ao maior de todos os mestres da arte popular brasileira que em 2009 completaria 100 anos de vida, o mestre Vitalino.

Mestre Vitalino, Caruaru, Pernambuco, 1947. Foto: PIERRE VERGER

Vitalino Pereira dos Santos foi um homem despretencioso sobre o futuro sua arte. Ele nasceu no dia 10 de julho de 1909 no distrito de Ribeira dos Campos, nas cercanias da cidade de Caruaru, Pernambuco. Sua história com o barro começou cedo, tinha apenas 6 anos de idade; aprendeu com sua mãe, Dona Josefa, que além de lavradora era louceira. Vitalino aproveitava as sobras do barro utilizado por sua mãe na fabricação de pratos, tijelas, panelas e potes. No começo fazia pequenos animais, como bois e cavalos que os irmãos levavam para vender na feira. Com o tempo, o mestre passou a aprimorar sua técnica e começou a retratar várias cenas do cotidiano da região. Os especialistas da obra de Vitalino contabilizam mais de 130 temas retratados pelo mestre.

Sua vida foi como a de muitos nordestinos: pobre, não frequentou a escola porque tinha que ajudar seus pais na lavoura. Fisicamente também não se distinguia muito dos demais homens da região: baixo e franzino, cor parda, pele aspera e queimada do sol. Casou-se aos 22 anos de idade com Joana Maria da Conceição, a Joaninha, com que teve 16 filhos, dos quais apenas 6 sobreviveram. Após 17 anos de casamento deixou o sítio Campos e se mudou para o Alto do Moura, comunidade localizada a 7 Km de Caruaru, onde passou o resto de sua vida. No Alto do Moura sua obra passou a ter mais destaque, ele era muito admirado pelos demais moradores do lugar. Todos queriam ver de perto seu trabalho e aprender com o mestre.

Na decada de 40 as obras do Mestre Vitalino ganharam grande notoriedade na região Sudeste a partir de uma Exposição de Cerâmica Popular Pernambucana, organizada por Augusto Rodrigues no Rio de Janeiro  em 1947. Depois em Sao Paulo expôs no Museu de Arte de São Paulo - MASP em 1949. Depois disso, a obra de Vitalino caiu no gosto das elites e virou noticia na imprensa nacional; isso fez com que a feira de Caruaru, local onde o mestre comercializava suas peças, tornasse uma atração turística.  Em 1960, Vitalino fez sua primeira viagem de avião para o Rio de Jeneiro. Durante os 15 dias que permaneceu na cidade, compareceu a jantares, exposições, entrevistas e programas de televisão. Essa seria a época do apogeu da obra de Vitalino, do qual ele parecia não ter muita consciencia. Como prova disso está o fato do mestre só ter passado a assinar suas peças depois de ter sido aconselhado por Abelardo Rodrigues, pois um dia aquele trabalho poderia valer muito. Depois da viagem ao Rio, vieram outras como a Brasília e de São Paulo. Vitalino ganhava o Brasil e o mundo, mas infelizmente seu tempo de vida a partir desta época foi muito curto. Vitalino morreu em 1963, aos 57 anos, vítima de varíola, do descaso e da falta de conhecimento.

Como ocorre na maioria dos casos, o reconhecimento da obra do Mestre Vitalino ganhou ainda mais importancia e notoriedade após a sua morte. Suas obras mais famosas são o Violeiro, o Boi, o Trio pé de serra, o Enterro na rede, o Cavalo-marinho, o Casal no boi, os Noivos a cavalo, o Caçador de onça, a Família lavrando a terra, Lampião e Maria Bonita, dentre outras.

 Mestre Vitalino modelando o barro, Caruaru, Pernambuco, 1947. Foto: PIERRE VERGER

 Mestre Vitalino comercializando suas peças na feira de Caruaru, Pernambuco, 1947. Foto: PIERRE VERGER

A produção do artista passou a ser iconográfica e inspirou a formação de várias gerações de artistas, especialmente no Alto do Moura em Caruaru. Nesta geração de artistas populares do Alto do Moura influenciados pelo mestre destacam-se nomes como: Manuel Eudócio (Mestre Eudócio), Severino Vitalino (filho do mestre), Elias Vitalino (neto do mestre), Marliete Rodrigues, Socorro Rodrigues, Seu Elias e vários outros.

Mestre Vitalino, Noivos, ceramica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

Mestre Vitalino, Homem tirando leite, ceramica, Reprodução fotográfica autoria desconhecida

 Mestre Vitalino, Noivos a cavalo, cerâmica policromada, Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Mestre Vitalino, Violeiros, cerâmica policromada. Acervo do Museu Casa do Pontal, Rio de Janeiro-RJ. Foto: autoria desconhecida

 Mestre Vitalino, Onça atacando, cerâmica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

 Mestre Vitalino, Cambiteiro, cerâmica. Acervo do Museu do Homem do Nordeste, Recife-PE. Foto: arquivo pessoal.
 
Mestre Vitalino, Boi, cerâmica policromada. Acervo do Museu de Arte Popular do Recife. Foto: autoria desconhecida.

Mestre Vitalino, Boi, cerâmica. Acervo do Museu de Arte Popular do Recife. Foto: autoria desconhecida.

 Mestre Vitalino, Cangaceiro a cavalo, cerâmica. Acervo do Museu de Arte Popular do Recife. Foto: autoria desconhecida.

Parte de sua obra pode ser contemplada em importantes museus, alguns dedicados à arte popular, como o Museu de Arte Popular do Recife (Recife), Museu Casa do Pontal (Rio de Janeiro) e o Museu do Folclore Edison Carneiro (Rio de Janeiro). Vitalino possui ainda obras expostas no Museu do Homem do Nordeste (Recife), Museu Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro) e no Museu do Louvre (Paris, França). Entretanto, a maior parte de suas obras faz parte de coleções particulares. As obras de Vitalino alcançou ao longo dos anos um elevado valor econômico e ainda sao comercializadas em alguns leiloes de arte pelo Brasil.

 Mestre Vitalino, Cangaceiro, cerâmica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

Mestre Vitalino, boi, cerâmica. Acervo Museu de Arte Popular do Recife. Foto autoria desconhecida

Mestre Vitalino, Cachorro abocanhando um teju, cerâmica policromada, acervo Museu de História e Arte do Estado do Rio de Janeiro

 Mestre Vitalino, Carro de boi, cerâmica. Acervo do Museu do Homem do Nordeste, Recife-PE. Foto: arquivo pessoal.

 Mestre Vitalino, vaquejada, cerâmica. Acervo Museu de Arte Popular do Recife. Foto autoria desconhecida

Mestre Vitalino, Lampiao, cerâmica policromada, acervo Museu de História e Arte do Estado do Rio de Janeiro.

 Mestre Vitalino, Tropeiro, cerâmica. Acervo do Museu do Homem do Nordeste, Recife-PE. Foto: arquivo pessoal.

 Mestre Vitalino, Banda de Músicos, ceramica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

  Mestre Vitalino, boi, cerâmica. Acervo Museu de Arte Popular do Recife. Foto autoria desconhecida

Mestre Vitalino, Emboscada, ceramica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

  Mestre Vitalino, retirantes, cerâmica. Acervo Museu de Arte Popular do Recife. Foto autoria desconhecida

 Mestre Vitalino, vaquejada, cerâmica. Acervo Museu de Arte Popular do Recife. Foto autoria desconhecida

Mestre Vitalino, Caçador com seu cachorro, ceramica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

 Mestre Vitalino, vaquejada, cerâmica. Acervo Museu de Arte Popular do Recife. Foto autoria desconhecida.

 Mestre Vitalino, Caldeira, cerâmica. Acervo do Museu do Homem do Nordeste, Recife-PE. Foto: arquivo pessoal.


Mestre Vitalino, Confissao, ceramica policromada, Reprodução fotográfica Soraia Carls/ Evandro Carneiro Leiloes.

Mestre Vitalino, Cangaceiro a cavalo, cerâmica policromada. Acervo do Museu do Barro - Espaço Zé Caboclo, Caruaru, PE.

Mestre Vitalino, Noivos a cavalo, cerâmica, Reprodução fotográfica Lordello & Giobbi Leilões. 

Video - Documentario Mestre Vitalino

49 comentários:

  1. Muito bom esse seu blog. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  2. nao intendi nada -'- blog [b]C H A T O [/b]

    ResponderExcluir
  3. muito bom esse site ajudou no meu trabalho da escola

    ResponderExcluir
  4. maum me ajudou em nada pois eu presisava q esplicase cada imagem........ :( :( :( :( :( :( :(

    ResponderExcluir
  5. Muito boas imagens ;)

    ResponderExcluir
  6. se explica-se as imagens ia ser melhor mais me ajudou muito já num trabalho da escola :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não precisa escrever com hífen, seu burro -_-

      Excluir
  7. umas imagens mais feia q as outras...kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vai tomar no seu cú

      Excluir
    2. Você deveria tomar vergonha na cara, começar a estudar pra sabe o que arte e lavar a boca com sabão.

      Excluir
    3. vc vá se fude seu filho da puta para mim é muito linda

      Excluir
    4. Falta de cultura ! (:

      Excluir
  8. esse mestre vitalino e muito bom na seramica.O mestre vitalino e muito bom

    ResponderExcluir
  9. Arte popular do Brasil

    Sábia, foi a sua iniciativa em homenagear a obra do Mestre Vitalino com a divulgação de seu trabalho aqui neste blog simples porém muito criativo com este fundo rústico de madeira...tornando um casamento estético perfeito!

    A obra de arte popular do Mestre Vitalino é uma das mais ricas e importantes deste País.
    Homem simples, sem letras porém guerreiro, criativo, artísta e desbravador do rústico barro e da tinta multicolorida essa é a síntese de sua obra e estética criadora.
    Não se preocupe com postagens aqui de pessoas que não conhece a obra desse grande Nordestino...eles procuram desqualificar a obra do Vitalino por que são ignorantes e sem cultura, não passam de uns Trouling péssimos alunos de Arte, esses eu não tenho dúvida não conhecem a arte e a rica cultura brasileira.
    Ainda estão no atraso estético e criativo do conceito do belo esta somente na arte clássica? que disse que essa afirmativa esta correta?
    O belo não importa mais a técnica e sim a criação!
    Parabéns pela distribuição das obras, todas importantes e lindas.
    O blog esta didaticamente correto não há mais o que explicar além disso...melhor seria esses preguiçosos aprimorar o seu Português ( ex: Escrever Cerâmica com (s) é uma pobreza de língua portuguesa sem comentários)e estudar mais sobre a história da arte no Brasil.

    Cordial abracos,
    Professor, Arte-Educador/Centro Universitário Carmus, Antiga Faculdade do Carmo, Santos, SP.
    Pós-Graduado em Artes Cênicas, Centro Universitário Lusiadas-UNILUS, Santos, SP.
    Ex-Membro da Comissão Santista de Folclore.
    Diretor Presidente da Fundação Mundo Novo-FMN/Aracaju, SE.
    Diretor Fundador da Escola Técnica Novo Mundo.





    ResponderExcluir
  10. se pose os no es das imagens ia ser melhor ai eu sabia o nome porquê ia me ajudar muito na lição de casa

    ResponderExcluir
  11. Olá Amigos,
    Moro em SP, gostaria de saber onde eu poderia comprar esses bonequinhos de barro?
    Agradeço a informação, obrigado.

    Marcos

    marcos.s@ibest.com.br

    ResponderExcluir
  12. Esse site não me ajudar em nada!!!:-(

    ResponderExcluir
  13. Esse site não me ajudar em nada!!!:-(

    ResponderExcluir
  14. este site me ajudou bastante em artes!!! mt bom....

    ResponderExcluir
  15. AO MESTRE VITALINO O MEU RESPEITO E A MINHA ADMIRAÇÃO, EU COMO UM SIMPLES OPERARIO DA ARTE DE REPRESENTAR PERSONAGEM...ME APRESENTO: O QUE VI E O VEJO NO SILENCIO DE SUAS OBRAS... UM ARTISTA COMPLETO DE CRIATIVIDADE E SABEDORIA POPULAR. ALBY RAMOS (ATOR)

    ResponderExcluir
  16. Esse blog acabou de ajudar meu filho com trabalho de escola

    ResponderExcluir
  17. meu trabalho vai ser nota 100000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000 :):):):):):):) :poop:

    ResponderExcluir
  18. MESTRE VITALINO FOI ANTES DE TUDO UM BENFEITOR, PORQUE FEZ ESCOLA. NO NORDESTE TODO E EM TODO BRASIL ELE DEIXOU DICIPOLOS QUE PASSARAM A REPRODUZIR A SUA ATE MARAVILHOSA, E VIVER DELA.

    ResponderExcluir
  19. me ajudou bastante.. e a professora amou,e perguntou qual tinha sido a fonte q eu tinha pesquisado.

    ResponderExcluir
  20. adorooo essas obras muito criativas ...................*-*

    ResponderExcluir
  21. Parabéns pelo blog! Sou professora de Artes, e me ajudou muito a ilustrar uma aula sobre o mestre Vitalino.

    ResponderExcluir
  22. adorei me ajudou muito

    ResponderExcluir
  23. Valeu, me ajudou muito...

    ResponderExcluir
  24. Vou usar esse texto para meu trabalho de artes, é bem completo.

    Mas nasceu em 1909, morreu em 1963 com 57 anos é foda hein ¬¬

    ResponderExcluir
  25. Nasci em Pernambuco e quando crinaça minha mãe e eu iamos à feira de Caruaru, e lá minha comprava para mim e meu irmão vários bonequinhos do Mestre Vitalino eu adorava, brinquei muito com cavalinhos e bonecos de barro, muitas saudades eu amo a arte popular e admiro.
    Moro em São Paulo mas sou Pernambucana de coração.
    Maria Eudinha Brandão

    ResponderExcluir
  26. Ótimo material... ótima idéia de divulgar a arte nordestina. Parabéns !
    Originalidade é o que não falta nesse pedação de Brasil !

    ResponderExcluir
  27. ACABEI DE ASSISTIR UMA REPORTAGEM SOBRE A VIDA E OBRA DE MESTRE VITALINO NO CANAL CULTURA E FIQUEI ENCANTADA COM TAMANHA BELEZA E SIMPLICIDADE DE SUAS OBRAS !!!! ESSE É O BRASIL DE VERDADE QUE POR MUITO ESTA ESQUECIDO !!! PARABENS PELO BLOG !

    ResponderExcluir
  28. Nao gostei nao me ajudou em muita coisa

    ResponderExcluir
  29. V sabe me dizer que foi João Vitalino? Tenho alguns bonecos assinados por ele. Obrigada

    ResponderExcluir
  30. ele nasceu em 1909 e morreu em 1963 morreu com 57 anos?

    ResponderExcluir
  31. Os bonecos assinados por Joao Vitalino têm algum valor?

    ResponderExcluir
  32. gostei agora chupa professores

    ResponderExcluir